12 de janeiro de 2018

[TBR - To be read] #JornadaMLV | Maratona Literária de Verão | Por: Geek Freak


Oi literamigos, tudo bem com vocês?

Então né, ultimamente eu estou com umas ideias meio loucas na cabeça, tipo participar de maratonas literárias que sei que irei flopar. MAS EU SOU BRASILEIRA E NÃO DESISTO NUNCA! Gente, eu não costumo participar de maratonas porque meu tempo é muito regrado e maratonas requerem muita atenção. Por outro lado, essas maratonas ajudam as pessoas a darem um gás na leitura, então eu super apoio.


Eu nunca participei com tanto afinco de uma maratona como estou inclinada a participar dessa. Pra quem não conhece a MLV (Maratona Literária de Verão) ela é organizada pelo Victor Almeida, do canal Geek Freak pra movimentar e unir os leitores tanto no verão (MLV) quanto no inverno (MLI). O mais legal é que são montados temas pra cada maratona. Veja bem, ele não faz uma lista de livros a serem lidos, esse não é o objetivo. Dessa vez foi criado um mundo fantástico, onde existem dois reinos (duas equipes) e cada reino possui quatro cidades, cada uma com um desafio diferente. Legal né? Clicando aqui você assiste o vídeo com todas as explicações do Victor. E aqui você vai pro tweet dele com todas as cidadezinhas. 

MAS VAMOS AO QUE INTERESSA! A maratona vai acontecer dos dias 13 ao dia 27. E o que vou ler nessas duas semanas? Confesso que ainda tô em dúvida na segunda cidade e no desafio extra do rei, mas seguimos firmes, até amanhã eu decido - até parece. 

A primeira cidade é ELBEN: 



Bom, para essa cidade eu fiquei muito em dúvida porque tem tanto livro que eu deveria ter lido em 2017 (rsrsrs). Mas escolhi Sociedade da Rosa da Marie Lu, o segundo volume da série Jovens de Elite, lançado pela editora Rocco em 2016.


"Sociedade da Rosa é o segundo volume da saga de fantasia medieval Jovens de Elite e mostra a jovem Adelina Amouteru com sede de vingança. Depois de ser renegada pela família, ela é traída por aqueles em quem confiou, e parte em busca de outros malfettos — sobreviventes da febre do sangue que, como ela, possuem dons fantásticos —, para formar um exército próprio e combater a Inquisição do Eixo. Mas o ódio e o medo que a alimentam podem levá-la por caminhos perigosos, e uma oferta tentadora vai testar a verdadeira natureza dos seus poderes e de sua personalidade. Uma sequência de tirar o fôlego para uma saga épica." (skoob)

A segunda cidade é CELESTINE: 






Celestine é um nome tão bonito não é? Pra essa cidade eu escolhi o livro A Bússola de Ouro do Philip Pullman que comecei há muito tempo e não terminei, então vou aproveitar a maratona para - tentar - terminar. Foi publicado pela editora Objetiva em 2007.


"O primeiro volume da trilogia Fronteiras do Universo, de Philip Pullman, se passa em um mundo muito parecido com o nosso — mas com algumas curiosas diferenças. Ciência e religião se confundem. Todo ser humano possui um daemon, um animal inseparável que na infância toma várias formas. E existe um raríssimo objeto que aponta a verdade, mas ninguém sabe fazê-lo funcionar. 
Lyra é uma menina levada que vive na tranqüila cidade universitária de Oxford, na Inglaterra. Lá, crianças começam a desaparecer. E quando seu grande amigo Roger, some, Lyra parte em sua busca, disposta a desafiar seus próprios temores. 
Na paisagem árida do Norte, onde tenta encontrar Roger, Lyra enfrenta uma terrível conspiração que faz uso de crianças-cobaias em sinistras experiências. Entre ursos usando armadura e bruxas que sobrevoam as sombrias geleiras, Lyra terá que fazer alianças inesperadas se quiser salvar o amigo de seu trágico destino." (skoob)

A terceira cidade é NÉFATO:



ADORO NACIONAIS! E pra essa cidade eu também escolhi um livro que comecei e não terminei na época por conta da faculdade. Abrakadabra: A Fênix Azul do meu conterrâneo F. B. Vláxio. Estou super ansiosa pra terminar essa história que já se provou ser incrível.

Com seus 17 anos e o plano de não se apaixonar por ninguém, Edgar nunca pensou que sua vida perfeita pudesse ser abalada. Até conhecer Klaus, o cara de outra cidade que agora frequenta a mesma escola que ele.

Klaus, por outro lado, não faz ideia de que a família de Edgar vem de uma linhagem poderosa de bruxos e que, munido do feitiço correto, ele seria capaz transformá-lo numa lagartixa vesga com um único estalo de dedos.

Os dois acabam pulando as etapas da amizade e se apaixonam logo de cara, tendo de arcar com as consequências desse sentimento instantâneo enquanto lidam com a descoberta de um amor proibido.

Para piorar, um bruxo das trevas resolve abrir um portal para o Desmundo, permitindo a invasão de demônios ao plano físico dos humanos. Sem alternativa, inimigos de longa data são obrigados a unir forças para combater ameaças jamais vistas na pacata cidade de Anévoa.

Com bruxos que usam identidades secretas, demônios à beira da crise existencial e uma cidade cheia de seres místicos que não sabem a diferença entre uma perna quebrada e uma perna com fratura exposta, ‘A Fênix Azul’ é uma história sobre o valor da amizade e o nascimento da bravura, que traz em seu repertório rituais mágicos, monstros lendários e disputas por poder capazes de definir o vencedor na batalha entre bruxos e demônios." (skoob)

E a quarta cidade é EL BUIRÉ:





Essa foi mais fácil e na verdade me deu o empurrão que eu precisava pra ler Stephanie Meyer. Sim, eu nunca li algo dela e não, eu não vou começar por Crepúsculo. Escolhi A Química, publicado em 2016 pela editora Intrínseca. 



"Ela trabalhava para o governo americano, mas poucas pessoas sabiam disso. Especialista em seu campo de atuação, era um dos segredos mais bem guardados de uma agência tão clandestina que nem sequer tinha nome. E quando perceberam que ela poderia ser um problema, passam a persegui-la. A única pessoa em quem ela confiava foi assassinada. Ela sabe demais, e eles a querem morta. Agora ela raramente fica em um mesmo lugar ou usa o mesmo nome por muito tempo.

Até que um antigo mentor lhe oferece uma saída — uma oportunidade de deixar de ser o alvo da vez. Será preciso aceitar um último trabalho, e a única informação que ela recebe a esse respeito só torna sua situação ainda mais perigosa. Ela decide enfrentar a ameaça e se prepara para a pior batalha de sua vida, mas uma paixão inesperada parece diminuir ainda mais suas chances de sobreviver. Enquanto vê suas escolhas se evaporarem rapidamente, ela vai usar seus talentos como nunca imaginou. 

Uma trama repleta de tensão, na qual Meyer cria uma heroína poderosa e fascinante, com habilidades diferentes de todas as outras, e prova mais uma vez por que seus livros estão entre os mais vendidos do mundo." (skoob)

Se vocês acham que é """"apenas"""" isso estão enganados. O Victor adora uma surpresinha, então ele lançou os desafios do rei e da rainha de cada reino.

O desafio da RAINHA:


Esse também foi relativamente fácil porque como vocês já perceberam eu adoro começar 3294832098432 de livros ao mesmo tempo então eu resolvi terminar A Traidora do Trono, da Alwyn Hamilton, publicado em 2017 pela editora Seguinte.


Amani Al’Hiza mal pôde acreditar quando finalmente conseguiu fugir de sua cidade natal, montada num cavalo mágico junto com Jin, um forasteiro misterioso. Depois de pouco tempo, porém, sua maior preocupação deixou de ser a própria liberdade- a garota descobriu ter muito mais poder do que imaginava e acabou se juntando à rebelião, que quer livrar o país inteiro do domínio do sultão. Em meio às perigosas batalhas ao lado dos rebeldes, Amani é traída quando menos espera e se vê prisioneira no palácio. Enquanto pensa em um jeito de escapar, ela começa a espionar o sultão. Mas quanto mais tempo passa ali, mais Amani questiona se o governante de fato é o vilão que todos acreditam. (skoob)
E FINALMENTE O ÚLTIMO DO ÚLTIMO DESAFIO:


Para o último desafio eu escolhi NADA. Não sei que conto vou ler ainda, e provavelmente só vou decidir no último dia de maratona, mas tá valendo.

É isso gente, eu espero que vocês tenham gostado, E QUAL É A TBR DE VOCÊS? 
Beijos e até a próxima!  

26 de dezembro de 2017

[RESENHA] "CORTE DE NÉVOA E FÚRIA", Sarah J. Maas | EU SENTI O IMPACTO!



Oi gente! Eu já terminei a trilogia Corte de Espinhos e Rosas e não sei como prosseguir minha vida! Mas vamos por parte. Trouxe pra vocês a resenha do segundo livro, e vocês podem ler a resenha do primeiro aqui. CUIDADO COM OS SPOILERS!

Título: Corte de Névoa e Fúria | Autor: Sarah J. Maas | Coleção: Corte de Espinhos e Rosas | Editora: Galera Record | Ano: 2016 | Páginas: 658 | Gênero: Fantasia, Romance, YA
O aguardado segundo volume da saga iniciada em Corte de Espinhos e Rosas, da mesma autora da série Trono de Vidro. Nessa continuação, a jovem humana que morreu nas garras de Amarantha, Feyre, assume seu lugar como Quebradora da Maldição e dona dos poderes de sete Grão-Feéricos. Seu coração, no entanto, permanece humano. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin e o pacto firmado com Rhys, senhor da Corte Noturna. Mas, mesmo assim, ela se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então por que é ao lado de Rhys que se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece, Feyre deve aprender rapidamente do que é capaz. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte e ameaça o mundo de humanos e feéricos. (Skoob)
ACOMAF é o segundo livro da trilogia e cumpre seu papel de solidificar a série muito bem. Após os acontecimentos de Sob a Montanha, Feyre tenta retornar a vida normal na Corte Primaveril, agora como noiva de Tamlin, apesar de viver aterrorizada pelo que passou e pelo medo de Rhysand (Grão-Senhor da Noturna) vir cobrar o acordo, a tatuagem no braço sendo um lembrete diário. 

Só que ela não melhora. A recusa de Tam a deixar ajudar nos assuntos importantes a deixa irritada e sem vida. Ela tem que se portar como a donzela que NÃO é, cumprir o papel de indefesa que não é. No dia do casamento ela atinge o ápice da ansiedade e implora por ajuda, vindo de Rhys que a leva para a Corte Noturna que não é o que ela esperava.


Com o passar do tempo, Feyre nota as mudanças de humor constantes de Tamlin, se tornando tóxico a ponto de faze-la surtar e ser salva por Morrigan, ou Mor, prima de Rhys. Ela passa a viver na Corte Noturna, onde é tratada como igual, com o potencial que tem e com os poderes que estão se inflando. Ela treina, ajuda, participa e vai melhorando. Infelizmente Amarantha era só o começo, e com a ameaça iminente do rei de Hybern ela precisa escolher entre deixar ser levada pelo passado ou novamente vestir a armadura de guerreira.

Então GENTE, ufa! Em primeiro lugar a Sarah quebra o estereótipo de herói sem arrependimento. Feyre ficou com cicatrizes e traumas profundos. Outra coisa é que nem sempre os sacrifícios feitos por alguém serão retribuídos, Tam se mostra opressor e possessivo enquanto o inimigo se mostra o contrário. Aparências enganam e nós nunca sabemos tudo ou conhecemos totalmente as pessoas. Elas mostram o que querem ou o que precisam. Sobre a fantasia, é INCRIVELMENTE bem escrito, os poderes, personagens, paisagens, o enredo, simplesmente um livro único e que tira o fôlego a cada página.

ESCRITO POR: Tammy Rosas
@tammyrosas

21 de dezembro de 2017

[RESENHA] "CORTE DE ESPINHOS E ROSAS", Sarah J. Maas | O QUE TÁ ACONTECENDO?



Gente, oi, tudo bem? POR AQUI NÃO ESTÁ NADA BEM! Desde que lançou Corte de Espinhos e Rosas (ACOTAR (A court of thorns and roses) para os mais íntimos) eu estava desesperada pra ler, então a partir de outubro comecei minha jornada por Prythian. 

A deusa no céu e Sarah J. Maas na terra! Manos, depois dessa trilogia não sei como prosseguir a vida. Sei que já tem muitas resenhas de ACOTAR no mundo, mas eu preciso DESABAFAR! Antes de começar é válido lembrar que a Sarah também escreveu a série Trono de Vidro que é outro TIRO!

Título: Corte de Espinhos e Rosas | Autor: Sarah J. Maas | Coleção: Corte de Espinhos e Rosas | Editora: Galera Record | Ano: 2015 | Páginas: 434 | Gênero: Fantasia, Romance, YA
Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance.

Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar um féerico transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. 

Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas , a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... Ou Tamlin e seu povo estarão condenados. (fonte: skoob)
Corte de Espinhos e Rosas conta a história de Feyre, uma mulher comum que vive em um mundo dividido entre humanos (mortais) e feéricos (imortais). Existem muitas lendas e boatos sobre os feéricos, pois após a última guerra os 2 mundos se mantém separados por uma muralha invisível. Feyre já fez parte de uma família rica, hoje ela tem sorte se consegue colocar algo comestível na mesinha do pequeno chalé que mora com o pai aleijado e as duas irmãs mimadas - Elain e Nestha. Sendo a mais nova, ela não aproveitou tanto a fartura da vida rica e logo se adapta a vida de camponesa, aprendendo a caçar e a vender. Em um dia de caça ela se vê entre a vida e a morte ao encarar um imenso lobo... Grande demais... Feérico? Ele está entre ela e a caça que seria seu alimento dos próximos dias, então ela atira e... Nada acontece, apenas um lobo comum. 

Dias depois o preço da caça é cobrado e Feyre é arrastada para Prythian, a terra cheia de magia, mistérios e crueldade dos feéricos. Pelo menos é assim que ela foi ensinada... Prythian é dividida por Cortes - Primaveril, Outonal, Estival, Invernal, Noturna, Diurna e Crepuscular - e ela foi "reinvidicada" pelo Grão-Senhor da Corte Primaveril, Tamlin.

Mapa de Prythian

GENTE, vale ressaltar que o mapa muda de acordo com a história, cada livro vem com alguma diferença no mapa logo no início. Ele vai se adaptando de acordo com o que acontece na história. É simplesmente incrível!

Tamlin se mostra poderoso, mas bondoso. Deixa claro a ela que não é uma prisioneira e que pode fazer o que bem entender. O tempo passa e Feyre, sendo curiosa como sempre, começa a explorar a enorme propriedade de Tam, a história de Prythian e seus segredos. As coisas começam a dar errado quando Tam fica mais preocupado com um mal que assola Prythian há quase 50 anos, mas que até então ele conseguiu manter afastado da sua corte. Feyre se vê em meio a uma guerra a qual ela não pertence, mas para proteger aqueles que ama ela lutará até o final e se tornará outro ser depois de tanto sofrimento.


fanart Feyre, por: Merwild em DeviantArt

A escrita e história de Sarah são inebriantes. Enquanto lia eu me sentia em Prythian e a cada página tinha mais curiosidade em explorar cada cantinho desse mundo inteiramente novo. O primeiro livro é uma releitura de "A Bela e a Fera", mas eu garanto a vocês que é 50 vezes melhor. A autora pegou uma ideia tão simplória de uma maldição e transformou em um UNIVERSO INTEIRO. Os personagens são tão bem escritos que você acredita de cara até em quem não deveria. E do meio para o final do livro a ação te deixa sem fôlego. Já li os outros e garanto que SÓ MELHORA. Logo terá resenha. No próximo post sobre ACOTAR colocarei minhas quotes favoritas. QUE LIVROS SENHORES! 

Escrito por: Tammy Rosas
@tammyrosas

19 de dezembro de 2017

[RESENHA] "JAWS", Peter Benchley | Andou na prancha, cuidado o Tubarão vai te pegar!



Oi literamigos! Depois de muitos e muitos dias chorando consertando o layout do blog, TEMOS RESENHA! Nossa movimentação é bem maior no instagram, mas não deixaremos o bloguinho de lado!

Título: Tubarão | Autor: Peter Benchley | Coleção: ---- | Editora: DarkSide Books | Ano: 2015 | Páginas: 280 | Gênero: Terror, Mistério e Suspense

Um clássico do cinema, o longa que lançou Steven Spielberg ao estrelato. Tubarão é inegavelmente uma obra prima do suspense e porque não, do terror. Mas esse marco no cinema começou em 1975 quando Peter Benchley escreveu um livro sobre o animal que mais lhe fascinava.


[Peter Benchley como repórter em Tubarão]

Nessa edição maravilhosa da Darkside Books, temos o prefácio escrito pelo próprio autor. Nela ele explica como surgiu seu fascínio por tubarões, como veio a ideia para história e esclarece alguns pontos que na época eram desconhecidos (tubarões não gostam do sabor de humanos, por exemplo).

Começamos nossa história conhecendo a cidade de Amity, uma pequena ilha próxima a Nova York, cuja economia gira em torno do turismo sazonal decorrente do 4 de julho. Com o fluxo alto de pessoas nesse período do ano, a cidade consegue se manter durante os outros meses, até que um desaparecimento coloca tudo em risco.

O conceito apresentado pelo autor é muito bem feito, temos nosso protagonista, Chefe Brody, que acaba de descobrir que um tubarão é responsável pelo ataque, logo após encontrar o que restou do corpo da moça desaparecida. Ele tenta de todas as formas manter a segurança da população, interditando a praia. Ao mesmo tempo que tem que aguentar a pressão do prefeito que quer a reabertura imediata, caso contrário, a economia de Amity se desfaleceria.

Toda essa trama política, bem como os trechos onde são narrados os ataques do tubarão, fazem do livro uma obra muito gostosa de ler. O suspense criado por Bancheley te imerge facilmente na história, e te coloca, tal qual as vítimas, num ambiente totalmente sem saída, com um puro e simples observador passivo esperando a ação inevitável do predador.

Num momento específico do livro, o autor se perde e acaba enveredando para uma trama secundária totalmente desnecessária, mostrando o drama da esposa de Brody e um affair que não acrescenta em nada a trama, apenas para preencher o livro com mais algumas páginas.


[Steve Spielberg]

Entretanto Tubarão é uma leitura obrigatória para quem adora suspense e terror, eu como bom cinéfilo tenho que indicar o filme também. Peter Benchley, que escreveu os primeiros esboços do roteiro do longa, conseguiu usar um medo primitivo do ser humano (o de ser devorado por um predador) e mesmo com toda a evolução do homem, com suas armas e sua sensação de estar no topo da cadeia alimentar, o faz temer o poder de um animal totalmente irracional, capaz de exterminar com uma população de todas as maneiras possíveis.

ESCRITO POR: Alberto Carvalho
@plotbr (instagram)

28 de setembro de 2017

[CIRCO INDICA] Livros que discutem sobre o suicídio


Oi circenses, Eduardo aqui.



Todos nós sabemos (ou não) que setembro é o mês da conscientização sobre a prevenção do suicídio, cujo objetivo é alertar a sociedade sobre essa terrível realidade. Durante todo o mês, trarei um post diferente acerca do tópico a cada semana. Neste, resolvi falar sobre três obras que discutem abertamente sobre o tema, dando uma perspectiva mais íntima sobre.

A REDOMA DE VIDRO - Sylvia Plath


Livro aclamadíssimo da autora norte-americana Sylvia Plath, um tanto autobiográfico e ficcional ao mesmo tempo, as semelhanças entre o livro e a pessoa da autora são fortíssimos.

Esther Greenwood, a narradora do livro, é uma jovem de 19 anos que está vivendo o que deveria ser o melhor dos tempos: ela é bolsista de uma boa universidade, ganha prêmios pela sua produção acadêmica e conseguiu um estágio em uma revista feminina que lhe permite passar as férias em Nova York. Mas, ao contrário do esperado, Esther não se comove com essas conquistas — ela se sente apenas vazia. Diante do imprevisto de não se satisfazer com a realização dos seus sonhos, Esther começa a questionar suas escolhas e sua própria identidade. Esse é o início de sua crise e da história contada em A redoma de vidro.

A construção de toda uma crise mental é vista nessa obra. Por que alguém com tantas realizações pessoais não se sente totalmente feliz e preenchida? Literalmente é mostrado como alguém perde a saúde mental aos poucos, toda a insegurança de uma jovem bem sucedida. A redoma é todo aquele aprisionamento mental, conviver 24 horas com esse monstro. Uma pesquisa a respeito da autora mostra muitas semelhanças com Esther, inclusive a mesma veio a cometer suicídio um ano depois do lançamento do livro, uma triste coincidência, na qual a vida imitou a arte.


O ÚLTIMO ADEUS - Cinthia Hand

"Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio" - Tyler

O que acontece com as pessoas depois que um ente querido se suicida?

Cinthia Hand mostra com toda a delicadeza os efeitos de um pós-suicídio em uma família, e como isso pode ser devastador. Acompanhando as consequências do suicídio do jovem Tyller a partir da perspectiva de Lexi, sua irmã mais velha, que constrói a história com anotações de diário a pedido de seu terapeuta, como forma de projetar todo o sentimento de perda.  É um livro sobre depressão, sobre o luto e as reações das pessoas ao suicídio e como é de extrema importância o cuidado com quem sofre com esse transtorno. Visto que muitos jovens sofrem com a depressão, é uma leitura de extrema importância.


POR LUGARES INCRÍVEIS - Jennifer Niven

Foto do blog Resenhando de Pijamas

Apresentando personagens com estilos de vida totalmente opostos, a premissa da obra é basicamente sobre procurar motivos para viver um dia após o outro. Violet se recupera física e psicologicamente do acidente de carro que matou sua irmã, enquanto Finch, um garoto com depressão e pensamentos suicidas, procura formas de morrer. Com finalidades semelhantes, eles se encontram por ironia do destino, no topo do prédio da escola, ambos pensando seriamente se pular dali seria a solução.

É um livro no qual tristeza e alegria caminham juntas o tempo todo, você chora, dá risada, e se apaixona por pessoas tão cativantes. Trata-se de uma narrativa que mostra a evolução de seus personagens, e como a companhia um do outro ajuda na recuperação mental de cada um, é extremamente reflexivo acerca da vivência de dois personagens com depressão.


MEU CORAÇÃO E OUTROS BURACOS NEGROS - Jasmine Warga

Foto do blog Cachola Literária

É o livro de estréia da autora, o que por si já é uma responsabilidade muito grande, e tratar de suicídio de forma tão crua torna a obra ainda mais importante.

Aysel é uma jovem comum de 16 anos, cheia de responsabilidades, vida escolar e familiar como de qualquer adolescente, mas ela carrega a culpa de um crime que o pai cometeu. Já vemos aí uma possível raiz do que desencadeará uma depressão, que, somada à junção dos olhares tortos do colegas e à dificuldade da família em enxergar um problema nela, faz com que nela aflorem pensamentos suicidas.

A depressão nunca é desencadeada apenas por um fator. Às vezes uma pré-disposição biológica somada a algum trauma podem ser fatores agravantes ou possíveis influenciadores. A personagem é colocada perante esses dilemas, o que a faz procurar esse site no qual pessoas se cadastram para encontrar "possíveis parceiros para suicídio" usando isso como um meio de fuga da realidade, o que soa muito assustador, mas como em todo romance, ela conhece esse rapaz chamado Roman, descrito como melancólico personagem, ao longo da trama eles talvez sejam um pro outro a vontade de continuar vivendo. Há grandes semelhanças do livro com "Por Lugares Incríveis " de Jennifer Niven, livro que trata do mesmo tema, porém, aqui é tratado muito mais emotivo e intenso

_____________________

Não se esqueçam, a fala importa. Se você sente que precisa de ajuda, não se contenha: o CVV – Centro de Valorização da Vida - realiza apoio emocional e prevenção ao suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, e-mail, chat e voip 24 horas todos os dias. Ligue 141, ou procure um profissional. Conversar sempre é a solução.

E aos que não sentem essa necessidade, lembre-se de que exercitar a empatia é um exercício diário.

6 de setembro de 2017

[CIRCO NERD] PODE ATÉ SER FILME DO BATMAN, MAS QUEM BRILHA É ARLEQUINA


Eae circenses, tudo de boa? Aqui é o Jan, e nesta semana, resolvi falar sobre a mais nova animação da Warner Bros. para o Universo Animado da DC.


28 de agosto de 2017

[CIRCO NERD] REVIEW DEATH NOTE | NETFLIX

Ok, Death Note, Death Note, Death Note... Bem, aqui é o Pedro, e aí gente como estão? Eu tô bem!


Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo