17 de fevereiro de 2016

[Resenha] O Silmarillion, J. R. R. Tolkien - Parte #1

E ai pessoal! Hoje eu trago pra vocês a primeira parte de uma série de resenhas que vou fazer aqui no blog!



Título: "O Silmarillion" 
Autor: J. R. R. Tolkien
Páginas: 480
Gênero: Fantasia
Lançamento: 2009
Edição: 1ª 
ISBN:  978-857-82-7126-8




NOTA: 5/5







Deixa eu explicar pra vocês como vai funcionar:

O Silmarillion é dividido em vários capítulos (não brinca, Sherlock), porém cada capítulo traz um conto diferente da Primeira Era do Mundo! Enquanto O Senhor dos Anéis nos mostra os acontecimentos da Terceira Era, O Silmarillion relata como a Terra foi criada e como foi a Primeira, Segunda e um pouco da Terceira Era. Portanto, eu vou fazer resenhas dos contos e espero que vocês me acompanhem nessa jornada! =D

Enredo:



Ainulindalë, A Música dos Ainur:

Antes de tudo existir, havia Eru, O Único, que na terra é conhecido como Ilúvatar. A partir de seu pensamento, ele criou os Ainur e propôs temas para que eles cantassem. Com o tempo, os Ainur foram evoluindo em compreensão.

Ilúvatar então reuniu todos os Ainur e indicou um tema muito poderoso, mostrando imagens, formas e seres fantásticos e disse-lhes para compor uma Música Magnífica a partir desse tema. E por terem sido inspirados pela Chama Imperecível (usado por Ilúvatar para dar a vida), cada um iria criar coisas belíssimas em forma de melodia, seguindo uma harmonia uniforme. E essa foi a música mais bela, exceto pela a que está por vir no Fim dos Tempos.

Porém a vontade de criar coisas diferentes e desconformes de toda a harmonia crescia no coração de Melkor. Ele era quem mais possuía dons e conhecimento entre os Ainur. Então a melodia de Melkor gerou uma dissonância fazendo com que alguns Ainur perdessem o ânimo e outros seguissem sua melodia. 

Haviam agora duas músicas distintas e os sons eram turbulentos e terríveis, como em uma batalha. Ilúvatar então se levantou, sugerindo um segundo e um terceiro tema e ambos foram confrontados por Melkor. Então Ilúvatar estendeu as mãos e todos se calaram.

Ilúvatar levou os Ainur até vazio e mostrou-lhes, em uma visão, tudo o que haviam cantado ganhando vida, inclusive a melodia de Melkor. Viram também os Elfos e os Humanos, os chamados Filhos de Ilúvatar. Ele fez isso para provar que até as coisas que Melkor gostaria de criar, dependiam da vontade dele. Ilúvatar, atendendo ao desejo do coração dos Ainuir, criou a Terra (Arda ou Eä), abrigando em seu centro a Chama Imperecível.

Agora que Arda existia, alguns Ainur desceram para habitá-la (incluindo Melkor) e prepará-la para os Filhos de Ilúvatar, por quem eles desenvolveram grande amor e agora esses Ainur eram conhecidos como os Valar. A parte principal dessas obras fora concedida a Manwë (irmão em pensamento de Melkor), Aulë e Ulmo. Manwë voltou sua atenção para os ventos, Aulë para a terra e seus minerais e Ulmo para o vasto e profundo oceano.

Porém Melkor criou o calor e o fogo sem limites e tentava destruir toda a criação dos outros Valar, sem perceber que estava de certa forma ajudando a moldar Arda. Os Valar passaram a caminhar por Arda adotando formas magníficas magníficas formas, enquanto a forma de Melkor era escura e terrível.


Opinião do leitor:

Bom, eu achei fantástica a forma escolhida para dar origem ao mundo! Imaginar os Ainur cantando os detalhes, as melodias, todas as coisas se moldando de acordo com a canção, foi uma forma muito bonita de se criar a Terra.

Mas sempre tem que ter um pra atrapalhar as coisas né. Achei o personagem Melkor bem desenvolvido. Nós acompanhamos desde o começo os motivos da sua maldade, sem nenhuma ponta solta. A forma como ele vai se tornando o inimigo foi bem trabalhada, é rica em detalhes e mostra a suas diferenças dos outros Ainur.

Uma das coisas que mais gostei foi a atribuição dos elementos e funções a determinados Valar. É onde vemos várias semelhanças com outros panteões de Deuses, apesar dessa palavra nunca ter sido usada para definir os Valar e nem mesmo Ilúvatar. Cito como exemplo o Valar Ulmo, que associamos rapidamente a Poseidon.

Bom, esse comecinho me deixou muito empolgado pra continuar a leitura! Eu gostei da introdução dos personagens e da forma com que todos, com excessão de Melkor, tem uma missão em comum: Preparar Arda para a chegada dos Elfos e dos Homens. Ver como tudo começou, desde a criação da terra, Terra-Média, surgimento das raças e etc, é muito interessante pra quem é fã do universo Tolkien.

E aqui termina a primeira parte, pessoal! Se você é fã de Senhor dos Anéis, mas nunca leu O Silmarillion, espero que essa série te ajude a entender como tudo começou e os acontecimentos da Primeira, Segunda e começo da Terceira Era!

Acompanhem a gente pelas redes sociais para não perder a próxima parte! =D




2 comentários:

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo