2 de março de 2016

[Resenha] O Silmarillion, J. R. R. Tolkien - Parte #3

Olá gente, hoje eu trago pra vocês a terceira parte da nossa maratona de resenhas de O Silmarillion. Nessa parte vamos ver algumas "tretas" divinas e acontecimentos das primeiras batalhas dos Valar contra Melkor.




Título: Quenta Silmarillion
Capítulo: Do início dos tempos
Descrição: A história das Silmarils














Quenta Silmarillion - A história das Silmarils

Do início dos tempos

Os Valar agora preparavam e cuidavam de Arda para a chegada dos filhos de Ilúvatar (elfos e homens). Havia grande necessidade de luz, então Yavanna pediu a Aulë que criasse duas lamparinas para iluminar a Terra-Média. Então os Valar as colocaram em colunas mais altas que as montanhas, próximas ao mar uma no Norte, chamada de Illuin e outra ao Sul, chamada de Ormal.

As sementes que Yavanna plantara começaram a brotar e crescer, dando origem a vários seres verdes, árvores e feras que habitavam rios, lagos e pradarias. Nenhum lugar era mais rico que o local onde a luz das lamparinas se fundiam e a ilha de Almaren, no Grande Lago, foi a primeira moradia dos Valar.

Houve um dia, enquanto eles descansavam de seu trabalho, que Melkor viu sua oportunidade e desceu até Arda, contemplou as obras dos Valar e se encheu de ódio e inveja. Ele se instalou na Terra-Média e começou a construir sua enorme fortaleza e o local ficou conhecido como Utmno. Os seres verdes que estavam naquela região adoeceram e apodreceram, as florestas ficaram sombrias e as feras viraram monstros. 

Quando os Valar perceberam já era tarde. Melkor investiu contra as lamparinas e elas caíram nos mares, causando enorme destruição. Desde então Arda foi desfigurada. A morada dos Valar foi destruída e eles foram para  a terra ocidental de Aman, ergueram suas defesas e as mais altas montanhas, as Pélori. Na mais alta de todas, a Taniquetil, Manwë ergueu seu trono.

Os Valar estabeleceram seu domínio em Valinor, que tornou-se ainda mais bela que a Terra-Média antes da investida de Melkor. Ali nada murchava ou adoecia e, quando Valinor estava pronta, eles construíram sua cidade, chamada de Valmar de muitos sinos.

Yavanna cantava sobre a relva verde de uma colina em Valinor, até que surgiram dois brotos, que cresceram em obediência à sua canção. De tudo que ela criou, as Duas Árvores de Alinor são as mais célebres. Telperion foi chamada a primeira e Laurelin a segunda. De suas folhas emanavam calor e uma luz explêndia.

Os Valar não esqueceram das Terras de Fora. Yavanna os instigava para a guerra contra o domínio de Melkor, o que deveria acontecer antes da chegada dos primogênitos de Ilúvatar. Oromë perseguia as criaturas de Melkor, porém quando ele passava, eles se reuniam novamente e as terras se cobriam de sombras e falsidade.

Considerações do leitor:

Quando eu comecei a ler esse capítulo, não tinha noção da importância que ele ia ter. Estamos num ponto em que as coisas na Terra ainda estão se estabelecendo. Criaturas estão sendo criadas e lugares estão sendo moldados. Os Elfos ainda não chegaram e Melkor ainda está causando destruição. Lembrem-se que tudo o que está acontecendo estava dentro dos 3 poderosos temas que Ilúvatar pediu para os Ainur cantarem lá na primeira parte.

Ainda vai demorar um pouco para vermos as Silmarils serem criadas, porém dentro do Quenta Silmarillion nós vamos ver o surgimento dos Elfos, Anões e Homens, entre outros detalhes importantes para todo o universo Tolkien.

E aqui seguem as partes 1 e 2:


Obrigado pessoal! Acompanhem a gente nas redes sociais e deixem sua opinião abaixo! =D



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo