2 de março de 2016

[Resenha] "Tudo o que ela quer", Erika Rossas

Título: "Tudo o que ela quer" 
Coleção: --------
Autor: Erika Rossas
Editora: Publicação Independente 
Páginas: 400
Gênero: Young Adult
Lançamento: 2015
Edição: 
ISBN: --------



Nota: 5/5




Sinopse:
"Sara Montezuma é exatamente o que qualquer mocinha de romance jamais pensou em ser. Ela é a rainha do drama e da manipulação, odeia responsabilidades, só gosta dos caras errados e vive constantemente de ressaca. 

Que ela sempre foi meio narcisista e politicamente incorreta, todo mundo já sabia. Mas tentar pular o muro do colégio é certamente o estopim. O resultado dessa pequena aventura? Um carimbo de expulsão no histórico escolar e uma viagem só de ida para a bonita e tranquila Campos do Jordão. 

No final das contas, a mudança não era um castigo tão grande assim. Ela ia morar em um dos destinos de férias mais famosos do Brasil, dirigir o Bel Air 57 do pai sem carteira de motorista, conhecer os turistas mais gatos que podem existir e, acima de tudo, ficar bem longe de todas as memórias ruins envolvendo a morte trágica do padrinho. 

É um novo começo. E Sara está se divertindo como nunca. O único problema é que aqueles últimos meses tinham deixado todos devastados e, mesmo com todas as festas e distrações, superar o passado é muito mais difícil do que ela poderia esperar. Mas não se chamaria Sara Montezuma se nem ao menos tentasse! 

Tudo o que ela quer é uma história pra lá de audaciosa, feita principalmente para quem já cansou de ler sobre mocinhas comportadas e príncipes em cavalos brancos." 
Enredo:

Sara Montezuma é uma menina/mulher de 17 anos, com traços orientais. Mora com o pai e foi abandonada pela mãe aos 5 anos. Pra idade que tem, é extremamente 'avançada'... Bebe, fuma, vai para todas as festas possíveis e fica com todos os garotos/homens possíveis. Além disso é destemida, enfrenta qualquer pessoa e tem uma opinião forte. 

Há apenas quatro pessoas no mundo que Erika tem uma consideração maior: Seu pai, Haroldo, seu padrinho e amigo de infância de seu pai, Joel, sua madrinha, Vitória, mulher de Joel e o filho deles Gabriel (ou como ela o trata "Bosi", seu sobrenome), por mais que eles vivam brigando e se ofendendo. Ah e apenas uma criatura de quatro patas: Adolf, seu cachorro. 

Enquanto passavam férias em Campos de Jordão, seu padrinho é assassinado e um luto enorme os invade. Sara fica cada vez pior, bebendo cada vez mais e fazendo muitas loucuras, o que leva Haroldo a tomar uma decisão drástica... Eles iriam se mudar de São Paulo. 
"— Eu não vou deixar isso acontecer — ele continuou, um pouco mais calmo. — Nem que precise ir embora dessa cidade o mais rápido que conseguir."
Sara fica extremamente chocada e ultrajada pela notícia, mas depois da escolha de seu pai de ir permanentemente para Campos de Jordão, ela não protesta muito.

Mas quando eles finalmente se mudam, ela percebe que não é nada como ela imaginou. Mesmo já tendo perdido o ano escolar e ter férias prolongadas até o próximo ano, Sara entra em um tédio enorme o que a leva a sair por todos os bares e festas possíveis da cidade. É assim que ela conhece Diego, o primeiro cara na cidade por quem ela sente algo. 

Tudo estava indo bem até o dia que ela acorda com Diego na sua cama e ouve barulho de carros... E é esse plural que a preocupa. Ela desce e vê Vitória e Gabriel Bosi na garagem... Claro que ela logo faz uma cena e descobre que seu pai vai construir uma segunda casa no terreno grande...

"— Por que a gente iria construir outra casa? — perguntei com a voz seca. 
Todos os três olharam para mim, receosos. 

— Para que o Gabriel e a Vitória tenham onde ficar quando resolverem vir pra cá."
E então tudo muda, a vida dela vira de cabeça pra baixo, mais uma vez... Ela estudaria na mesma sala que Bosi, moraria a menos de 15 metros dele e ainda teria que conviver com todos os olhares a vigiando.

As aulas começam depois de um fim de ano conturbado e cheio de surpresas e então ela conhece Rômulo, o cara problemático e repetente da escola. Ele é louco, faz de tudo, e é então que ela começa a experimentar drogas, é presa e tudo sai do controle. 

O que a salva? O drama Bosi/Montezuma. Apesar de tudo, eles têm sentimentos fortes um pelo outro, e chega há um momento que não dá pra ignorar. Mas isso não quer dizer que é o 'destino' dos dois ficarem juntos. 

Opinião da leitora:

Primeiro, quero parabenizar a autora por ter a força de vontade de publicar seu livro de maneira independente. E é um ótimo livro! Como sempre eu comecei a ler apenas com a intenção de fazer o primeiras impressões e depois a resenha, mas li tudo em um dia e bem... Eu me arrependo de ter lido tão rápido. 

Tive uma relação de amor e ódio com a Sara. Amor por ela ser tão confiante de si, falar o que quer e ter uma opinião forte. Ódio por ela não pensar nos outros e nas consequências que vai afetar a família dela com as coisas que ela faz. Mas a protagonista foi muito bem construída e não teve aquele clichê de redenção como normalmente acontece. Apesar de que o final foi tranquilo.

A quantidade de páginas me preocupou por ser romance (um YA quase NA), mas cada ponto foi necessário e a história flui em tempo cronológico bem planejado. 

O Bosi é a coisa mais fofa do universo! Eu queria guardar ele numa caixinha e deixar lá para sempre.

É um livro com grandes emoções, controvérsias e uma protagonista completamente louca. Não é de maneira nenhuma uma história de amor comum, e isso foi maravilhoso! Espero que a Erika escreva mais histórias com a Sara. POR FAVOR! :3


Espero que tenham gostado da resenha, beijos e até a próxima!
Nos acompanhem pelas redes sociais! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo