26 de março de 2017

[LEITURA] Resenha: "O livro de memórias" | Lara Avery

Oi gente, tudo bom? Voltei com mais uma resenha e sinceramente não sei bem como escrever sobre esse livro. Antes de mais nada eu nem esperava que o livro fosse tudo isso então me desculpem se eu soar muito oh my god em alguns momentos. Na minha cabeça era mais um YA "romantiquinho" e só, mas AINDA BEM que foi muito mais que isso.

Título: O livro de memórias | Autor: Lara Avery | Coleção: ---- | Editora: Seguinte | Ano: 2016 | Páginas: 392 | Gênero: Young Adult

Sammie sempre teve um plano: se formar no ensino médio como a melhor aluna da classe e sair da cidade pequena onde mora o mais rápido possível. E nada vai ficar em seu caminho — nem mesmo uma rara doença genética que aos poucos vai apagar sua memória e acabar com sua saúde física. Ela só precisa de um novo plano. É assim que Sammie começa a escrever o livro de memórias: anotações para ela mesma poder ler no futuro e jamais esquecer. Ali, a garota registra cada detalhe de seu primeiro encontro perfeito com Stuart, um jovem escritor por quem sempre foi apaixonada, e admite o quanto sente falta de Cooper, seu melhor amigo de infância de quem acabou se afastando. Porém, mesmo com esse registro diário, manter suas lembranças e conquistar seus sonhos pode ser mais difícil do que ela esperava.
Samantha é uma menina prodígio, por esforço próprio. Quando menor ela só queria saber de ler livros de ficção (Senhor do Anéis por exemplo), mas instruída a socializar mais com outras pessoas ela escolhe um time na escola... O time de debatedores. Antes ela já era a ovelha negra da família, mas uma ovelha negra boa (Oi? Espero que tenham entendido). A família de Sammie, pai, mãe e os três irmãos são típicos moradores do interior do Canadá, mas são pessoas de coração enorme e um amor profundo uns pelos outros. Depois que Sammie entra para o time de debatedores ela se torna a melhor da turma, com as melhores notas e trabalhos, com o objetivo de se formar, entrar para a New York University, se tornar uma advogada de sucesso, mas principalmente, sair daquela cidadezinha que não tem nada de interessante. 

Está tudo correndo como o planejado, ela é sim a melhor da turma, está no Torneio Nacional de Debates, com sua única amiga, Maddie, foi aceita na NYU, vai ser oradora da turma na formatura e tudo não poderia ser mais perfeito. Porém, pouco antes de viajar para o torneio nacional ela é diagnosticada com uma doença que afeta seus movimentos, sua visão e o pior de tudo, seu cérebro e sua memória. Você deve ter pensado na doença que o físico e cosmólogo Stephen Hawking tem, mas não são a mesma coisa. O que a Sammie tem se chama Niemman-Pick C (existem vários tipos, o dela é o pior), o que Stephen Hawking tem se chama Esclerose Lateral Amiotrófica. Enquanto a NP-C se trata de um distúrbio metabólico que vai acumulando algumas substâncias em locais errados (principalmente o colesterol) a ELA afeta os músculos. Basicamente a doença de Stephen não afeta diretamente seu cérebro. Ele foi diagnosticado aos 21 anos e tinha, segundo os médicos, mais 3 anos de vida. Ele é até hoje uma incógnita para os neurologistas. Já a doença NP-C afeta tudo com muito mais rapidez, entre os principais sintomas estão a dificuldade de mover os olhos para cima e para baixo, dificuldades motoras e demência. O que intriga os médicos de Sammie é que essa doença aparece durante a infância, então fato de ter se manifestado nela durante a adolescência a dá esperanças de superar. Mas para se certificar de que não vai esquecer nada do que é importante, ela começa a escrever um livro para a Sam do Futuro, para que ela não se sinta perdida quando não lembrar de algo. 
"LEMBRO VAGAMENTE de uma citação de um dos meus teóricos preferidos, Noam Chomsky - algo sobre otimismo como uma estratégia, não apenas um sentimento. Se você não acreditar que o futuro vai ser melhor, então não vai agir para melhorá-lo. Parece piegas, mas existe outra palavra para pieguice: sinceridade." - Sammie, pag. 32.
Para complicar ainda mais a vida de Sammie, Stuart Shah está de volta à cidade. Ele é seu amor platônico há anos, mas desde que se formou e foi viver a vida de escritor em Nova York eles nunca mais haviam se falado... Na realidade eles nunca se falaram, mas em alguns momentos ela fez de tudo para que ele a notasse. Mas agora é diferente, Maddie é descolada, conhece várias pessoas e claro, é amiga de um amigo do Stuart. Então Sammie é convencida a ir para uma festa pela primeira vez na vida e bem ao lado de Stuart Shah. Ela só poderia estar sonhando... Mas é então que ela decide viver, fazer o que quer fazer e o principal: Falar o que quer falar... Inclusive para Stuart Shah. 
"FUI IMPULSIVA, mas senti que venci. Maddie me disse para ser corajosa, e eu fui. E, o mais engraçado de tudo, Sam do Futuro, foi que quando fiz aquilo, pensei em você, Pensei em você lembrando de mim naquele momento e me vendo derreter na multidão ou indo para casa com pena de mim mesma, e fiquei irritada." - Sammie, pag. 74
É então que em meio a tanto caos, surge uma ponta de felicidade em sua vida, Stuart mostra a ela como viver poeticamente e ela descobre o amor. Mas não é apenas isso... Ela começa a se descobrir, começa a se soltar e socializar mais. Vai para o Torneio Nacional, faz o discurso na formatura, mas é depois dessa noite que tudo desanda. Ela tem um surto e liga para Cooper, a única pessoa que vem a sua mente. Eles eram melhores amigos desde a infância, mas depois ele mudou, começou a frequentar festas e usar maconha, foi expulso do time e eles simplesmente se afastaram, mas por ironia do destino ele é a única pessoa que sabe da sua doença, então mesmo em meio a um surto de demência é ele que ela chama.
"ÀS VEZES A VIDA é só terrível. Às vezes a vida te dá uma doença estranha. Às vezes a vida é muito boa, mas nunca de um jeito simples. E, quando eu olhar para trás, vou saber que tentei." - Sammie, pag. 75
Seus pais começam a questionar sua capacidade, começam a ficar naturalmente superprotetores, não querem que ela saia de casa sem acompanhante, não querem que ela fique em depressão e o pior de tudo, acham que ela não tem mais condições de ir para a NYU.
"- Isso mesmo. Essa é a parte engraçada de nos importarmos tanto com as coisas - ele disse. - Temos que nos acostumar com a ideia de que ninguém se importa tanto quanto nós porque... Adivinha? Ninguém se importa. Sucesso, fracasso, tanto faz. Ninguém vai te dar um tapinha nas costas por passar todas as horas do dia estudando ou pesquisando ou desistindo de tudo para escrever. Então o ideal seria fazer todas essas coisas por nós mesmos, não pelos outros." - Stuart, pag. 126
Sammie se vê descendo uma ladeira sem freios, e é então que você percebe do que se trata o livro. O livro de memórias não é sobre perseguir o sucesso que você julga perfeito ou necessário para você, mas ser grata pelo sucesso de cada dia. É sobre parar de olhar apenas para si mesmo e perceber as pessoas e as coisas a sua volta. O crescimento de Sammie é incrível. Mesmo com todas as dificuldades ela se torna mais amável, mais presente na vida das pessoas, apesar de não desistir de se superar todos os dias. 

Ela encontra em Cooper a pessoa na qual ela se sente segura, que a ajuda depois que as coisas ficam feias e ele a ensina a sorrir todos os dias, mesmo que todos os planos do dia dêem errado. Ela encontra na família dela toda a força de que precisa para acordar todas as manhãs, mesmo que tudo tenha mudado. 
"[...] me pergunto por que é tão prazeroso acordar. Me pergunto como posso ter desejado tanto saber sobre tudo o que há lá fora e por que tudo que está perto de mim é tão fascinante agora. Me pergunto como o cérebro pode funcionar tão bem devagar quanto acelerado. Um milhão de coisas acontecem ao mesmo tempo só para assimilar uma casa um jardim e uma montanha." - Sammie, pag. 298
O fato de O livro de memórias ser literalmente um livro de memórias, na qual a Sammie do presente escreve para a Sam do Futuro deixa as coisas muito mais intensas, você vê o que ela vê, sente o que ela sente e imagina o que ela imagina. Você torce por ela, chora com ela e suspira com ela. O livro de memórias é sobre dar o melhor de si para seu próprio sucesso e alegria, mas ser o melhor de si para as pessoas ao seu redor. 

E o final é surpreendente e muito emocionante! 

A RESENHA DE O LIVRO DE MEMÓRIAS É UM OFERECIMENTO DA LIVRARIA LEITURA! O livro está super em conta e vale MUITO MUITO a pena a leitura.

Por hoje é isso, espero que vocês tenham gostado, LEIAM O LIVRO, beijos!
Nos acompanhem pelas redes sociais! <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo