1 de julho de 2017

MEMÓIRE #1 - As incertezas das certezas

Ontem a noite, depois de um dia extremamente controverso e estressante eu decidi finalmente colocar em prática uma das minhas milhões de ideias que eu tenho, primeiro porque eu acho que vai me ajudar e que posso até ajudar algumas pessoas. Em segundo lugar é algo que eu já venho pensando em fazer há muito tempo e acho que o estado atual das coisas é oportuno. 

Então essa é a minha nova coluna no blog, intitulada Memóire. Mas por que esse nome? Acho que acima de tudo porque eu considero a memória algo muito poderoso. É a partir dela que temos os melhores momentos de nossas vidas guardados, lembramos de quem amamos, de quem nos faz bem, do que queremos, das viagens que fizemos, dos sorrisos que conquistamos e é claro lembramos das coisas que não foram tão boas assim, mas eu prefiro ver pelo lado positivo da coisa. Mas também é o título do primeiro conto que publiquei em um periódico da Universidade onde estudo (UEA) onde eu falei de várias coisas que considero importante e ainda homenageei algumas pessoas importantes para mim [assim que eu achar o link eu insiro aqui haha]. AH, lembrando que tudo que for escrito aqui é o modo como EU vejo as coisas. Em cada coluna vou deixar uma playlist do spotify que tenha a ver com o texto.


Então, hoje eu pensando na vida, no universo e tudo mais, me perguntei a seguinte coisa: Nós somos as nossas certezas ou nossas incertezas? Vamos primeiro pelo dicionário.

CERTEZA:
/ê/
substantivo feminino
1qualidade, caráter ou virtude do que é certo ou considerado certo.
2.  conhecimento íntimo ou expresso; convicção.

INCERTEZA:
/ê/
substantivo feminino
1.  estado ou caráter do que é incerto.
2.  falta de certeza; dúvida, hesitação, indecisão, imprecisão.

Meu avô Manoel costumava dizer que a única certeza que temos na vida é que iremos morrer. E quando pequena eu não entendia essa frase, porque por exemplo, eu tinha certeza que minha mãe sairia para trabalhar no dia seguinte. Eu tinha certeza que eu iria para escola e que voltaria ao meio dia, como sempre. Certo? Sim, por um tempo isso foi certo. Porém o que acontece com todos? Nós crescemos, e entendemos que a vida é muito mais que um horário pré-determinado, que acontecem os imprevistos, TODOS OS DIAS, que as vezes você não tem certeza nem de que horas irá voltar para casa.


E de início isso nos estressa, porque o mundo parecia certo em uma hora e na outra você já não tem certeza de nada. E isso se repete dia após dia, as certezas vão diminuindo e as incertezas só aumentando. As únicas certezas que sobram é que as contas vão chegar no final do mês, que o tempo está passando mais rápido a cada dia e todo dia há mais coisas para fazer. A pressão é tanta que você pensa diariamente em desistir de tudo só para ter um pouco de paz! SÓ UM POUCO DE PAZ! Mas e depois dessa paz, o que viria? A falta dela pelo fato de você não ter mais as incertezas que tanto te tiravam a paz. Ou você inicia tudo de novo, ou compreende que todos os dias para o resto das nossas vidas uma das poucas certezas que temos é que tudo é incerto.

E acho que as pessoas que mais dizem ter certeza das coisas são as mais incertas. Certezas são superestimadas. Tudo é incerto, as pessoas, os sentimentos, os lugares, os acontecimentos, TUDO! Por exemplo, ao cursar o vestibular, eu tinha certeza de que NÃO sabia o que escolher, depois de pesquisar e ver os cursos eu tive certeza de que queria fazer Arqueologia então meti a cara. Adorei de início, mas como disse antes, toda certeza vira uma incerteza permanente ou momentânea. Em vários momentos do curso eu quis desistir, quis abandonar tudo, procurar outra coisa para fazer, simplesmente abrir mão de TUDO QUE CONSTRUÍ E CONQUISTEI. E acho que isso vale para todos os aspectos de nossas vidas. Você passa noites em claro, não come, não consegue fazer nada, não sai do quarto, chora, se desespera, pensa que não vai conseguir, mas ei, deixa eu contar um segredo: Você consegue sim. E ESTÁ TUDO BEM NÃO TER CERTEZA DAS COISAS! O que não está tudo bem é não se achar capaz, achar que todos os problemas vão se resolver se você simplesmente abrir mão de tudo.


Pronto, paz! Errado. A paz você vai ter quando enxergar que você é muito maior que os seus medos e angústias. É difícil? Muito. Eu alcancei esse estágio? Não, mas estou lutando com tudo que sou e tenho para conseguir. Eu não gosto de desistir, eu detesto desistir. Desistir não me daria paz, principalmente quando eu sei que são coisas que eu não vou encontrar em todo lugar. Como um curso de Arqueologia... Eu não estou falando de desistir daquele livro que está um saco, eu estou falando de desistir da sua caminhada, das suas histórias mais importantes só porque o céu está cinza e por um momento está tudo desfocado e você não sabe como seguir em frente se as páginas de antes pareciam tão melhores.

E então eu lembrei de outra coisa que meu avô costumava falar: Depois de toda tempestade vem o arco-íris. E somos nós que temos que encontrar os nossos sorrisos na tempestade para enxergar o arco-íris. Somos nós que temos que entender que as incertezas sempre vão estar lá, mas que elas não podem ser maiores que nossa vontade de fazer com que as coisas deem certo. Não adianta ter o dia completamente planejado, ou planos para daqui há dois anos, o dia MUITO RARAMENTE vai sair como o planejado - sim, acontece, e que milagre! - e os planos para daqui há dois anos vão mudar várias vezes. O que podemos fazer é agarrar o hoje como se fosse o último dia das nossas vidas, porque ninguém nos garante que não é. Podemos sorrir por nada, ou por tudo. Chorar por nada, ou por tudo. Mas principalmente, acima de tudo, saber que nunca teremos resposta pra tudo, que nem todos os nossos planos saírão do jeito que queremos, mas só porque não está do jeito que consideramos PERFEITO, não quer dizer que não esteja. Talvez esse seja o perfeito para o seu agora. E que todos somos incertos, e que precisamos viver um dia de cada vez e lutar pelo que é importante, mesmo que o caminho seja difícil.


Por hoje é isso, gente! Nos acompanhem nas redes sociais, até a próxima! 
Beijos.

Um comentário:

  1. Heey!
    A paz você vai ter quando enxergar que você é muito maior que os seus medos e angústias. PRECISO TATUAR ISSO NA TESTA HAHA.
    Como a própria biblia diz: "O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã" (Sl 30:5)
    Adorei o post, já aguardo o próximo.
    http://diarioleitorblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo