28 de agosto de 2017

[CIRCO NERD] REVIEW DEATH NOTE | NETFLIX

Ok, Death Note, Death Note, Death Note... Bem, aqui é o Pedro, e aí gente como estão? Eu tô bem!



Dia 27/08/2017, 02:45am, terminei de ver o mais novo longa metragem da Netflix, a “adaptação” americana de Death Note. Bem, não é bem uma adaptação, é mais uma estória baseada no mangá, ou seja pegaram a ideia da parada e uma parte da concepção artística e adaptaram para um longa americano, eu não vou ser imparcial aqui, até porque não acredito em imparcialidade, vou dar a minha opinião sobre o filme enfatizando pontos negativos e até positivos (sim, acreditem).

~Nota: Tudo que eu vou falar aqui pra frente é sobre o filme, estou fingindo que o mangá/anime não existem, estou lidando somente com o longa E VÃO TER SPOILERS~

Death Note tem uma ideia interessante, mas uma execução um tanto quando decadente. A trama sobre o garoto que acaba tendo em suas mãos o poder de decidir quem vive e quem morre é algo bem bolado, mas a parte interessante desse roteiro acaba aí, o filme é cheio de furos e ocorre tudo muito rápido, como se eles estivessem apostando uma corrida “Vai logo, tem que acontecer logo isso, dá o caderno, mostra o demônio, beija a garota!”, acho que isso foi o que mais me incomodou, não dava tempo pra entender o que estava acontecendo na verdade e não temos nenhuma introdução aos personagens, fazendo com que o filme tenha que parar durante o plot mais interessante pra explicar as coisas não estabelecidas ainda e perde tempo com cenas totalmente descartáveis ou muito extensas.

O filme apresenta as mortes de uma forma muito gore, não que esse tipo de cena seja ruim, mas acho que não condiz com a premissa do filme, mesmo contando com fatores sobrenaturais, é um filme bem “pé no chão”, e quando ocorria alguma cena de morte parecia que tinham inserido um trecho de premonição. E pra completar no final do filme quando a garota cai de uma altura exorbitante a única coisa que acontece é um machucado na cabeça e um nariz sangrando ao invés de ter seu corpo dilacerado como havia acontecido antes com outros personagens numa situação bem parecida.

Temos um protagonista burro, apesar de uma resolução até interessante no final. Light é burro, se deixa ser pego muito facilmente, não pensa de jeito nenhum no que está acontecendo a sua volta e acaba se auto sabotando, toma decisões precipitadas e é facilmente manipulável, o cara não tem noção nenhuma do perigo que está correndo ou da sua própria segurança, já que ele e a namorada saem gritando pelos corredores sobre o caderno que mata pessoas e quem eles deveriam matar agora.

Light também é muito suspeito, ele é o cara que você pergunta “Você comeu meus salgadinhos?” e ele com a boca suja de migalhas e com uma cara de bosta responde “Não... Eu? Jamais.” e isso acaba fazendo com que os outros personagens (em particular o seu pai) pareçam estúpidos em não verem o que está acontecendo bem na sua frente. O rapaz não tem mesmo nenhum senso de perigo, tanto é que dá o seu numero de telefone para o inimigo! “Ah, mas era um telefone provisório, não era o dele” em momento nenhum isso é dito no filme, e mesmo assim, estamos na era digital, era muito fácil rastrear a ligação e saber que era ele falando, pois ele não usava nada para mudar a sua voz!

O personagem “L” não é um detetive, é quase o Bran Stark de tão vidente, o cara não tem o mínimo trabalho pra descobrir as coisas, e se tem, o filme falha miseravelmente em nos mostrar isso, fazendo parecer que o rapaz simplesmente sabe das coisas porque está no roteiro. Uma cena rápida nos mostra como ele faz uma simples dedução em que não precisa ser um grande detetive pra descobrir, mais uma vez fazendo com que outros personagens (principalmente o pai do Light) pareçam idiotas. Além de nos mostrar não ser um detetive tão bom, ele parece ser bem inconsequente, o cara desmonta por completo quando pegam o seu amigo, ao invés de manter uma postura de detetive controlado, que pode resolver os seus problemas na inteligência, ele simplesmente joga tudo isso pro alto e parte pra porrada sem ao menos pensar no que está fazendo, se entregando, expondo sua “tão sigilosa identidade” por besteira e no final do filme resolve tudo por sorte.

Mesmo com tanta coisa ruim, o filme até tem seus pontos positivos. Não se apoiando totalmente na obra original, ele tem liberdade de fazer mudanças que as vezes são até para o bem. O fato do filme ser mais “pé no chão” nos mostra o que realmente aconteceria se um garoto de 16/17 anos desse de cara com um demônio e no final das contas nos mostra consequências mais reais sobre o mundo atual. O que realmente poderia acontecer se isso fosse uma história real com uma boa perseguição policial, a influência que isso teria nas pessoas e a repercussão dos fatos no mundo, sem contar que isso poderia deixar qualquer um louco e é exatamente o que acontece com o protagonista que no final das contas perdeu o juízo e a sanidade.

Por incrível que pareça, um dos pontos positivos na minha opinião é a personagem Mia, por mais que o seu relacionamento com Light seja bem bobo e sem noção, vemos suas motivações e suas intenções, nos mostrando que Mia é uma garota problemática e que deseja o poder mais que tudo, basicamente uma maluca do car#%*.

O filme deixa um final em aberto que pode abrir discussões como “Afinal Light morreu ou não? Capitu traiu Bentinho?", mas antes disso mostra uma resolução dos problemas típica de filme policial em que no final já estava tudo esquematizado, e achei válido usar esse recurso mostrando que o nosso querido Light não era tão burro quanto pensávamos... só um pouquinho.

Na sua parte técnica, Death Note não tem nada tão especial mas tem uma boa direção de fotografia, transições interessantes e dinâmicas de cena, um figurino bacana, uma boa direção de arte, uma concepção de arte incrível e uma linguagem adolescente interessante, fazendo bons usos de alívios cômicos e mostrando um filme com um espirito um pouco “teen”,, te dizendo “não leva isso aqui tão a sério, não é o seu suspense policial ".

Bem... Não estou dizendo que o filme é bom, não é! Mas a minha expectativa estava TÃO BAIXA que foi "Meh.. Ok"... Existem vários e vários pontos negativos mas também existem alguns poucos positivos, mas definitivamente roteiro não é um deles.

Bom gente, teve gente que riu do filme, ficou com raiva do filme, mas passou, calma! HAHA Espero que tenham gostado do review, nos acompanhem nas redes sociais! Abraço e até a próxima! 

QUEM ESCREVEU: Pedro Porto
ME ENCONTRE NAS REDES SOCIAIS: 
Youtube: Canal Rabisco do Dia
Facebook: Pedro Porto
Instagram: @pedroportoc42
Twitter: @pedroportoc42

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo